Prefeitura segue realizando ações em alusão ao Janeiro Roxo

A Prefeitura de Governador Newton Bello, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), segue disseminando informações e conscientizando a população neste Janeiro Roxo. A cor atribuída ao primeiro mês do ano é uma maneira de lembrar e intensificar a luta contra a hanseníase. Em Governador Newton Bello, a SEMUS aderiu a essa iniciativa e vem auxiliando na desmistificação da doença e orientação da população sobre sinais e sintomas. A ação permite, assim, o diagnóstico precoce, e incentiva os pacientes durante seu tratamento.

Na próxima segunda-feira (27), as ações serão realizadas na Unidade Mista de Saúde, na sede do município. Na ocasião, além de palestras, panfletagem, profissionais da Saúde realizarão avaliações de manchas/sinais e consultas médicas.

O secretário Municipal de Saúde, Epitácio Carvalho, falou sobre a importância da campanha e da participação efetiva da comunidade: “Esse evento é de extrema importância para que a população tenha mais informações sobre a doença, intensificando a busca ativa de doentes, disponibilizando tratamento oportuno e interrompendo a cadeia de transmissão. Também vale ressaltar que a participação das famílias é de igual importância para que juntos possamos nos livrar, de vez, da hanseníase.”

Ao longo de todo este mês, atividades alusivas ao Janeiro Roxo foram realizadas nas Unidades Básicas de Saúde do Barracão (sob a coordenação da enfermeira Celijane) Londrina (ações sob a supervisão da enfermeira Ravylla) e Rosilândia (lideradas pela enfermeira Neyles Fernanda), além do Centro de Saúde Newton Bello, aos cuidados da enfermeira Glauciana Duarte.

O Restaurante Popular do município também foi ponto importante para divulgação das informações, com realização de palestras e panfletagem.

O encerramento da campanha Janeiro Roxo será no próximo dia 29 na Unidade Mista de Saúde, com avaliação de manchas e consultas médicas.

Sobre a Hanseníase

É uma doença crônica, infectocontagiosa causada pelo Micobacterium leprae. A transmissão ocorre pelas vias aéreas superiores após contato íntimo e prolongado com um doente sem tratamento. Acomete primeiramente a pele e os nervos periféricos. É uma doença lenta e silenciosa sendo que os principais sinais e sintomas da doença surgem após longo período que varia de 2 a 7 anos. São eles:

Mancha (s) esbranquiçada, avermelhada ou acastanhada, com alteração de sensibilidade;
Áreas sem pelo; pele seca, formigamento, dormência, dor em trajeto de nervos, etc.

Caso não tratada em fase inicial, o doente pode evoluir com incapacidades físicas definitivas. Ao iniciar o tratamento o paciente deixa de transmitir a doença para outras pessoas. Portanto, o diagnóstico precoce e o tratamento oportuno dos casos constituem o principal pilar para o controle da hanseníase, interrompendo a cadeia transmissão da doença, o aparecimento de novos casos e reduzindo o número de pessoas acometidas por sequelas provocadas pelo comprometimento neurológico da doença.